domingo, 1 de maio de 2011

A menina que roubava livros.

É, ler um livro em que a morte é que conta a história não é mole, não! Mas adorei  a forma em que o autor (Markus Zusak) escreveu o livro, incorporando a morte! Uma história que se passa na Alemanha durante a IIª Guerra Mundial, uma menina que passava o tempo lendo os livros que roubava, e a morte contando, ou melhor, reclamando da “vida” que levava durante a guerra.
...”A conseqüência disso é que estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feiúra e sua beleza e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas. Mas eles têm uma coisa que eu invejo. Que mais não seja os humanos tem o bom senso de morrer.”

“... Posso lhe jurar que o mundo é uma fábrica. O sol a movimenta, os humanos a dirigem. E eu permaneço. Levo-os embora.”

A briga da menina com as palavras, não por serem escritas certas ou erradas, mas sim pelo significado e pela força e extensão que elas têm quando pronunciadas pelas pessoas.

“Odiei as palavras e as amei, e espero tê-las usado direito.”

“... O homenzinho correu até a mulher e a abraçou. “Palavras!” e sorriu. “O quê?” Mas não houve resposta. Ele já se fora.
Sim, o Führer decidiu que dominaria o mundo com palavras.”
Bem, só para ter uma idéia, li em 3 dias, mas se desse para ficar só lendo, na certa terminaria em 1.
Se puderem ler, leiam, foi um dos melhores que li neste estilo literário.
bjos e boa leitura!! Porque eu estou indo para outro livro ...






2 comentários:

✿ chica disse...

Ótima dica, deu vntade!beijos,lindo domingo e boas leituras!chica

Tays Rocha disse...

Eu gostei muito dele, mas no início eu quase desisti, porque ele é denso. Depois me envolvi de uma maneira que também devorei inteiro num 4 dias. Beijocas ♥